O exame de eletroneuromiografia é doloroso? Entenda por que este tipo de pergunta é frequente entre os pacientes

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

A eletroneuromiografia é um exame que tem o objetivo de avaliar o sistema nervoso e o bom “funcionamento” dos nervos. Por meio de impulsos elétricos e de suas medições, é possível identificar se existe uma lesão ou qual é a progressão de uma doença. Entre as indicações, estão casos suspeitos ou confirmados de esclerose lateral amiotrófica, neuropatia diabética, hérnia de disco, atrofia muscular e outros quadros.

Entre quem nunca fez o exame, uma dúvida comum envolve o fato de ele ser capaz de provocar dor ou incômodo. Por isso, é importante conhecer a resposta para se preparar corretamente para essa etapa.

A seguir, veja se o exame de eletroneuromiografia é capaz de causar dor e entenda quais são os seus aspectos principais.

Como é o exame de eletroneuromiografia?

Esse procedimento é dividido em duas partes, de acordo com os resultados desejados para a avaliação clínica. Em um primeiro momento, há uma execução de impulsos elétricos nos músculos que estão sendo avaliados. A ideia é medir como é a condução nos nervos, de modo a identificar se existe alguma lesão ou um bloqueio.

Também é nessa fase em que são medidos os reflexos motores e como o corpo reage a cada tipo de estímulo. É por isso, inclusive, que a eletroneuromiografia de membros inferiores é tão útil para diagnosticar uma possível neuropatia diabética que afeta o reflexo das pernas, por exemplo.

A segunda fase envolve a aplicação de uma agulha muito fina, conectada a um eletrodo, no músculo da área de interesse. Essa agulha não injeta medicamentos e nem repassa impulsos elétricos, servindo apenas para medir a atividade das células. Caso o resultado apresente qualquer desvio, é possível aprofundar o diagnóstico.

O exame de eletroneuromiografia dói? Por que há essa dúvida?

Uma das dúvidas recorrentes entre os pacientes é se o exame de eletroneuromiografia gera algum tipo de dor. A pergunta não é feita sem motivo: como envolve a análise de músculos, com impulsos elétricos e eletrodos, existe a ideia que ele é capaz de levar a incômodos.

A princípio, esse não é o objetivo do procedimento, mas é uma situação que pode ocorrer entre muitos pacientes. Na primeira parte do exame, as dores podem ser causadas pelo envio de impulsos elétricos em nervos comprometidos, por exemplo. Na segunda fase, o incômodo fica por conta da sensação da agulha em certos locais.

Em ambos os períodos, tanto na eletroneuromiografia de membros inferiores quanto na parte superior, a dor costuma passar rapidamente. Inclusive, limita-se ao momento do exame. Dores recorrentes não são comuns e podem estar associadas a outros quadros, como a fibromialgia e a tensão para executar essa análise.

Onde fazer exame de eletroneuromiografia e como ter a melhor experiência?

Para garantir bons resultados, tanto em relação à análise quanto aos processos, é essencial realizar a eletroneuromiografia em um centro de referência, como a Scan Diagnósticos Médicos. Poder contar com uma equipe altamente profissional e com a tecnologia certa é indispensável para que os dados sejam consistentes e condizentes com a realidade.

Isso permitirá ter uma coleta de dados mais efetiva e que vai ajudar o médico a fazer um bom diagnóstico. Além disso, é algo essencial para que o exame de eletroneuromiografia seja tranquilo e sem dores. A experiência e a qualidade de atuação garantem a segurança e, portanto, evitam diversos problemas relacionados.

O exame de eletroneuromiografia, em princípio, não deve causar dor — exceto por um leve incômodo durante a sua realização. Com a escolha de um centro de referência, é possível ter a certeza de que ele acontecerá da melhor maneira.

Para saber mais sobre a eletroneuromiografia e outros exames, preencha o formulário abaixo que nossa equipe entrará em contato com você imediatamente.





Comentários no Facebook

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×